Quarta-feira, 31 de Dezembro de 2008

Último post do ano 2008

Este é o último poema deste findo ano

como um voto de esperança renovada

surgiu assim de repente, do nada

sem ter sido traçado o seu plano

 

desejo a todos um ano cheio de amor e paz

e que continuem a ser belos como até agora

que as tristezas desapareçam, vão embora

façam tudo aquilo que mais vos agrada, apraz

 

com chuva ou sem ela, muito boas entradas

por cada passa um desejo que valha a pena

para todos tudo de bom, uma vida mais amena

 

um dois mil e nove com muitas gargalhadas

sorrisos de orelha a orelha, muita alegria

pudesse eu mandar, tudo isso vos mandaria

 

sinto-me: +- festivo
publicado por manu às 22:52
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 30 de Dezembro de 2008

Adeus avó

Em meu braço um fumo

negro de saudade recente

pela perda de um parente

amanhã regressa ao humo

 

O último elo com o passado

desprendeu-se da corrente

ente querido de toda a gente

também por Deus foi amado

 

Partes agora, adeus avó

no meu peito fazes morada

serás sempre avó menina

 

No céu não estarás só

por muitos és esperada

até sempre avó Felismina

 

Que os anjos te acompanhem na tua última viagem

 

sinto-me: mais pobre
publicado por manu às 18:35
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008

Citação

Eu poderia suportar com dor

que tivessem morrido todos os meus amores,

mas enlouqueceria

se morressem todos os meus amigos!

A alguns deles nem sempre os procuro

basta-me saber que eles existem!

Esta mera condição me encoraja

a seguir em frente na vida!

Mas é delicioso que saibam que vos adoro

embora não o declare

e não os procure sempre

 

VINICIUS DE MORAES

 

Esta foi a melhor mensagem de Natal que recebi

sinto-me:
publicado por manu às 19:49
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Domingo, 28 de Dezembro de 2008

Onde andas gente? (2008)

Sentado no banco do jardim

observo o mundo em meu redor

vejo homens, mulheres, crianças

vejo rostos

vejo alegria, tristeza, choro

um casal que se ama

ainda se ama...

vejo brincadeiras de crianças

vejo uma mais traquina

a ser repreendida

chora, grita, faz birra

a mãe desespera

mas austéra

diz que chegou a hora de partir

a criança chora

vejo jogos de adultos

jogos de sedução

palavras sussurradas

a ouvidos atentos

sorrisos abertos, brancos

vejo brilhos nos olhares

bocas que se beijam

ainda se beijam...

vejo jogos de reformados

cartas, dominó, xadrez

velhos e menos velhos

em redor de outros velhos

que jogam

cartas, dominó, xadrez

ás de trunfo!

carrão!

xeque-mate!

cada um com seu jogo

aptidão

vejo também solidão

vejo e observo um rosto

nossos olhares cruzam-se

recebo um sorriso

podre, mas sorriso

retribuo com um aceno de cabeça

gesto convidativo

vem, senta-te aqui!

vem falar um pouco!

hesitação

desconfiança

mas por fim... a cedência

- Chamo-me Emanuel, e você?

- O meu nome é Gente.

- Quem tem o nome de... Gente?

digo sorrindo

mas admirado com a resposta

- Toda a gente.

fico sem palavras, não compreendo

- Olha filho!

diz o homem, pouco mais velho que eu

chamado Gente

- Quando reclamam comigo

não me chamam António, Manuel ou João

dizem sempre

" Sai daqui pedaço de gente"

" Mas que gente esta!"

" Porque deixam esta gente andar aqui?"

compreendes agora?

fico calado

sem saber que dizer

o silêncio diz tudo

levanto-me

estendo-lhe a mão

- O meu nome é Emanuel, e o seu?

ele olha-me a mão

hesitante aperta-a

- O meu nome é gente. Pedro gente.

e ri

um riso podre... mas riso

 

sinto-me: gente
publicado por manu às 11:51
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|
Sábado, 27 de Dezembro de 2008

Três meses de amizades (2008)

Mais um ano chega ao fim

amigos que voltaram

amigos que partiram

amigos que se perderam

amigos que se ganharam

novos amigos

novas amizades que fiz

porque finalmente

dei um passo em frente

e aderi à Internet

e desde esse dia

tenho feito amigos

amigos que desconheço

amigos que vou conhecendo

amigos sem rosto

amigos

homens e mulheres

de carne e osso

como eu...

que partilham uma paixão

a poesia...

vários estilos

várias temáticas

diferentes perspectivas

mas sempre

com paixão pela poesia

amigos que me leram

amigos que eu li

amigos com quem aprendi

amigos que têm muito para ensinar

amigos com quem posso aprender

amigos que me forçam

que me motivam

que me inspiram

amigos

amigos que não conheço

amigos que vou conhecendo

Maria, Catarina, Vera, Ausenda,

Sónia, Breizh, elas

Filipe, Álvaro, Alex, Peter, Miguel,

António, eles

nomes de amigos

amigos que não conheço

amigos que vou conhecendo

Obrigado

por três meses de amizade

 

 

 

sinto-me: cheio de amigos
publicado por manu às 17:00
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2008

Balanço e expectativa (2008)

Faz-se o balanço de mais um ano

reflectimos sobre o que passou

faz-se contas à vida, nada sobrou

delineamos outra estratégia, plano

 

criamos novos objectivos pessoais

novas metas nos propomos atingir

e mais de nós próprios vamos exigir

porque é nossa natureza querer mais

 

um ano está a acabar

não foi mau nem foi bom

apenas passou a correr

 

novo ano vai começar

pode ter o mesmo tom

assim o possa eu viver

 

sinto-me: esperançoso
publicado por manu às 13:43
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

Tradição de Natal (2008)

São dez anos de tradição

ou devo dizer ritual?

há em casa muita animação

nesta época de Natal

 

para alegria da pequenada

um velho gordo aparece

uma cabecinha mais desconfiada

do Titi não se esquece

 

- Foi tomar conta das renas,

está lá fora a trabalhar.

Entretanto dou-vos as prendas

toca a desembrulhar!

 

A preocupação então dá lugar

a sorrisos de orelha a orelha

mas há sempre um a pensar

e a olhar-me de esguelha

 

-Tu não és o Pai Natal!

Diz-me com convicção.

-Como sabes se me porto mal?

-Tenho o dom da adivinhação

 

As crianças vão brincando

com os presentes que lhes dão

os adultos vão falando

até surgir nova questão

 

estou eu a entretê-los

a pergunta vem em desafio

-Porque tens os chinelos

que pertencem ao meu tio?

 

A gargalhada é geral

digo que ele me consentiu

-E o Titi não tem Natal?

-Porque está lá fora ao frio?

 

-Está na hora de partir!

Digo para grande desalento

é o Pai Natal a sair

e o Titi a entrar sala dentro

 

-Teve aqui o Pai Natal!

-Eu sei! Estava lá fora com as renas

-Ele é um "godo" bestial!

-E deixou aqui as tuas "pendas"!

 

-Esta prenda também é tua

-Despacha-te! Toca abrir!

E a alegre festa continua

é bom ver crianças a sorrir!

 

sinto-me: o Pai Natal
publicado por manu às 13:30
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.mais sobre mim

.contador

Counter Stats
gold coast link
gold coast link Couter

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários

.geocounter