Sábado, 30 de Janeiro de 2010

Sonho utópico (2010)

Vislumbrei um Sol de tons brilhantes

que me deu ânimo, alguma esperança

vi esse Sol no sorriso de uma criança

lembrei-me do brilho que havia antes

 

Testemunhei o nascer de uma nova era

uma outra forma de encarar esta vida

com mais paz e alegria, menos sofrida

sublime como a chegada da Primavera

 

Nesse momento também eu me alegrei

tudo em meu redor era festa e euforia

como era sereno esse mundo d'encanto

 

Então, contra a minha vontade, acordei

o Sol no sorriso da criança eu não via

e desfiz-me em lágrimas, longo pranto

 

Leiam este artigo de hoje do DN sobre poesia

 

tags:
publicado por manu às 17:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Valor de um amigo (2010)

No ciclo de amigos que fazemos na vida

há alguém que nos desperta mais afeição

uma pessoa que considerada como irmão

vale bem cada instante d'amizade sentida

 

Para se viver uma existência bem vivida

sem remorsos, pesar, tristeza ou frustração

nada como sentir uma falta de obrigação

em coroar cada gesto d'amizade recebida

 

Ninguém quantifica o valor de um amigo

o carinho puro não exige nada em troca

faz-se tudo para se manter um camarada

 

Quem diz: Conto contigo... conta comigo!

sabe qual o sentimento que isso provoca

e sem amigos esta vida tem valor de nada

 

 

tags:
publicado por manu às 01:42
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Janeiro de 2010

Fogo que arde (2010)

Amor é fogo que arde sem se ver

há muito tempo que eu oiço dizer

e ainda não sei se hei-de acreditar

o fogo queima, sinto o corpo arder

é dor que sinto, nada disto é prazer

por amor ninguém merece queimar

 

Amor é fogo que arde sem se ver

mas eu vejo o meu coração arder

e a minha alma está a acompanhar

esta dor estou decidido a combater

não vejo quem me possa socorrer

e este incêndio consiga apaziguar

 

tags:
publicado por manu às 22:30
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sábado, 23 de Janeiro de 2010

Neste jardim encantado (2010)

Neste jardim encantado da poesia

desabrocham versos de mil cores

motes cuidados, perfeitos amores

palavras sábias em perfeita elegia

 

Neste jardim encantado da poesia

nascem poemas de vários odores

palavras com perfumes sedutores

aromas que se renovam cada dia

 

Neste jardim encantado da poesia

planto as sementes da minha verve

rego com amor este meu canteiro

 

Crio estas belas flores da fantasia

por este jardim meu sangue ferve

sou aprendiz de poeta e jardineiro

 

tags:
publicado por manu às 23:53
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 19 de Janeiro de 2010

Criação poética (2010)

Estudo e releio as poesias dos mestres

tento apreender o que o poeta me diz

decifro poemas citadinos e campestres

com a atenção dum genuíno aprendiz

 

Capto o essencial dos versos lavrados

faço a minha análise, aclaro as ideias

pretendo subir ao nível dos aclamados

através destas minhas poesias plebeias

 

Sorvo o mais fundamental de cada um

abono ao meu estro doses de sabedoria

alimento-me seguindo o meu criterium

em cada verso maior mendigo energia

 

É nos poemas que recito que me educo

é pelas filosofias sapientes que me crio

encontro saber até num poema caduco

a força do lirismo aquece o meu estio

 

Em cada trova vislumbro a inspiração

que brota com violência dum tornado

por cada rima aflora o acto de criação

parte imponente dum trajecto iniciado

 

 

tags:
publicado por manu às 00:11
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Sábado, 16 de Janeiro de 2010

5 haiku (2010)

Haiku nº11

 

A vida é fria

Se nós estivermos sós

Sem amizades

 

Haiku nº12

 

A vil solidão

Vai matando aos poucos

Que morte lenta!

 

Haiku nº13

 

Amigos puros

Francos e verdadeiros

Amizade sã

 

Haiku nº14

 

Amor eterno

Não dá felicidade

Sei do que falo

 

Haiku nº15

 

Motes perfeitos

Sensatez resoluta

Palavras sábias

 

tags:
publicado por manu às 11:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 10 de Janeiro de 2010

O tempo é fugaz - acróstico (2010)

Oculto entre cada segundo

Temos o tempo que corre
Em ímpetos de vagabundo
Mordaz, nem lhe ocorre
Parar e olhar bem o mundo
Ocupado, assim se escorre

É cruel com quem o sente

Fugindo a todo o instante
Um mero libertino indigente
Goza por nos ser importante
Atroz, vilipendia toda a gente
Zomba por nos faltar, tratante

tags:
publicado por manu às 10:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.contador

Counter Stats
gold coast link
gold coast link Couter

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários

.geocounter