Segunda-feira, 12 de Janeiro de 2009

Exercício (2009)

Um poema de Ruy Belo estava a ler

depois parei e pus-me logo a escrever

só para me distrair um pouco, entreter

porque não tinha mais nada para fazer

 

como era o poema? É bom de ver

algo de semelhante me propus conceber

alguns podem não me compreender

outros até se vão entediar, aborrecer

 

podia ir para a rua e desatar a correr

mas está muito frio e eu não ia querer

voltar para a cama por assim adoecer

quando ainda me estou a restabelecer

 

só à rima é que me obrigo a obedecer

da métrica prescindo, não quero saber

este é apenas um momento de lazer

continuo este poema cheio de prazer

 

posso ficar nisto até à noite e escurecer

ou parar um pouco antes só para comer

até quando me convier ou apetecer

por quanto tempo aqui me vou manter?

 

hesito em publicá-lo, dar a conhecer

este poema que em tamanho, está a crescer

escrevo isto sem sequer me aperceber

das suas dimensões, no que me estou a meter

 

enquanto houver rimas vou permanecer

a escrever como um louco, a enlouquecer

a adrenalina sobe, isto está a aquecer

já sinto o calor do meu sangue a ferver

 

já não sei de que rimas me estou a esquecer

acho que não repeti nenhuma, quer me parecer

algumas palavras teimam em desaparecer

se derem conta de algum erro, é só dizer

 

deste poema nunca mais me vou desfazer

até ficou um pouco catita, estou em crer

quero sentir a reacção que vocês vão ter

acho que os vossos comentários vou merecer

 

publicado por manu às 18:30
link do post | comentar | favorito
|
22 comentários:
De carlos henriques a 12 de Janeiro de 2009 às 19:55
Boa tarde amigo

Agradeço a tua passagem pelo meu blog.
Espero "ver-te" por lá mais vezes.

[[abraço]]
De manu a 12 de Janeiro de 2009 às 20:24
Amigo John! Pode contar com a minha presença, sim senhor. Descobrir o seu cantinho foi uma surpresa e como me identifico com o que escreve, voltarei e comentarei mais vezes. Obrigado pela retribuição da visita. Espero que não se iniba de comentar os meus escritos. Abraço.
De inoutyou a 12 de Janeiro de 2009 às 22:23

Pois é caro Emanuel,

A escrita sai-lhe por magia
qual poeta de alquimia
Assim, venha anós essa alegria
em cada poema no dia a dia

Abraço
Alex
De manu a 12 de Janeiro de 2009 às 22:35
Amigo Alex!

Quem me dera fazer disto profissão
escrever e dar um uso a esta paixão
por no papel toda a minha expressão
e apenas parar por causa da refeição

mas o homem não vive da inspiração
o dinheiro é que manda na situação
e na mesa temos de pôr a refeição
todos nós sabemos qual é a razão

Devo dizer que o poema do Ruy Belo, que me inspirou a escrever este, chama-se "TO HELENA" e ele termina todos os versos com advérbios. Abraço.
De inoutyou a 13 de Janeiro de 2009 às 21:42

Amigo Emanuel

Escrever é ao mundo dizer
o que vai na alma, no coração,
e o tempo é curto, passa a correr,
pouco dissemos, ficou a intenção

Abraço
Alex
De manu a 13 de Janeiro de 2009 às 22:24
Amigo Alex!

Mas podia ser de outra maneira
se a vida não fosse trapasseira
e permitisse mais brincadeira
evitando, nós, a asneira

Abraço.
De Velucia a 13 de Janeiro de 2009 às 00:04
Oi Manulo
É por escrever tudo isso...
Essa magia que tem em escrever que respondi o teu comentário no Poesia em Rede.
Eu me encanto com a facilidade que tem para a escrita.
E porque não duas profissões?

Um abraço.
De manu a 13 de Janeiro de 2009 às 00:12
Olá Vera! Agradeço o que disse mas você exagerou um pouco no elogios, minha amiga. Fiquei mesmo encabulado com as suas palavras. Você tocou bem fundo com o que escreveu. Ai amiga, quem me dera que fosse assim tão fácil fazer da escrita profissão. Eu amo o meu país, mas ele é demasiado pequeno para se poder viver do que se escreve. Para além disso, o tempo que o meu trabalho me consome é enorme (embora agora esteja parado por causa da tendinite). Uma vez mais agradeço a simpatia das suas palavras, obrigado de coração. Beijo grande.
De Velucia a 13 de Janeiro de 2009 às 22:07
Oi Manulo

Não acho que exagerei, só disse o que acho!
Eu não disse pra você deixar sua profissão, até porque, viver de poesia, é mesmo que passar fome, pelo menos aqui no meu país.
Eu disse que poderia ter as duas e não deixar a sua, apenas um complemento. Pode escrever nas horas vagas e depois de juntar alguns escritos publicar um livro, por quê não?
Eu também comecei a escrever depois de uma temporada em casa restabelecendo de um problema devido a esforço físico, e que hoje não posso mais trabalhar na minha função. Já tenho em torno de 60 poemas e quando completar 100 vou publicar, mesmo que independente. Claro que vou tentar conseguir quem patrocina mas, se não encontrar, vou fazer assim mesmo. O que vender... se vender...vou doar numa instituição de caridade. Isto é o que quero.

Um abraço.
De manu a 13 de Janeiro de 2009 às 22:34
Olá Vera! Eu entendi seu comentário dessa forma, sendo certo que o ideal seria fazer da escrita profissão. Eu sempre escrevi muito ao longo da vida e, para além da poesia, tenho três romances inacabados. Eu estou sempre a escrever e guardo tudo o que escrevo ( inclusive os comentários em verso que faço nos blogs). Quem sabe, se um dia esse material não será aproveitado para um livro?!?. Fico contente com a sua iniciativa e desde aqui lhe envio toda a minha força e apoio nesse seu projecto. Que tudo lhe corra como deseja e me avise da evolução dele. Abraço.
De Velucia a 13 de Janeiro de 2009 às 00:11
MANULO !!!

OLHA MINHA FELICIDADE!!

Meu poema já está lá no Poesia em Rede, é o nº 18.
Leia e dê-me sua opinião.

Abraço.
De manu a 13 de Janeiro de 2009 às 00:14
Vera! Com a emoção você nem reparou no meu comentário.
De Velucia a 13 de Janeiro de 2009 às 22:01
Realmente não entendi!
Não sei se é a emoção ou minha parvisse. (parvisse>existe esta palavra?)

De qual comentário você diz?
De manu a 13 de Janeiro de 2009 às 22:12
Olá Vera! Agora você me fez rir bastante. Eu estou falando do comentário que deixei no seu poema na "poesia em rede". Você ficou tão emocionada que nem reparou que o meu comentário já lá estava. Foi só emoção e não "parvoice" sua. Abraço.

De Velucia a 14 de Janeiro de 2009 às 05:10
Oi Manulo!

Você riu não!?
Pois eu só vi hoje o teu comentário lá e também o da poetaporkedeusker e da linhaseletras.
Acredido que, quando você comentou eu já havia saído daquele blog, portanto não tinha visto mesmo.
hoje vi e já respondi.

Obrigada.
De manu a 14 de Janeiro de 2009 às 09:11
Olá Vera!

mas que insónias são essas as suas
fazer comentários na hora de dormir
será que há no mundo duas luas
ou você anda até tarde a se divertir?

Abraço.

De Velucia a 14 de Janeiro de 2009 às 22:38
Oi Manulo

Sabe o que aconteceu?
Devido o cansaço de minha aventura acabei dormindo por volta das 20:00 e acordei por volta das 23 00 horas, perdi o sono. Foi aí que resolvi escrever sobre a aventura e também respondendo o comentário. Mas lembre-se aqui estamos em horário de verão e a diferença daí são de 2 horas.

Um abraço.
De manu a 14 de Janeiro de 2009 às 22:50
Olá Vera!

Você comenta como e quando quiser
mesmo sendo aí três horas da manhã
mas tem de descansar mais um pouco
se quer manter sua mente fresca e sã

Abraço.
De Velucia a 15 de Janeiro de 2009 às 01:41
Estou em férias, lembra?
E depois de ir dormir este horário, não tive horas para acordar. Só acordei as 10:00 horas.

Já descansei!

Obrigada pelo cuidado.

De manu a 15 de Janeiro de 2009 às 09:09
Olá Vera!

Que inveja de você neste momento
aí é verão aqui Inverno frio e chuvoso
este gelo polar é mesmo um tormento
e aí deve estar um calor bem gostoso

Abraço.
De Gothicum a 13 de Janeiro de 2009 às 10:38
Temos poeta, olá amigo, que essa gripe(digo eu) se vá embora rápido. Abraços.
De manu a 13 de Janeiro de 2009 às 11:10
Olá Filipe!

Não é de gripe que me estou a restabelecer
mas de uma arreliadora tendinite no braço
as tuas palavras elogiosas vou agradecer
e desde aqui mando-te um grande abraço.

Obrigado pelas tuas palavras. Abraço.

Comentar post

.mais sobre mim

.contador

Counter Stats
gold coast link
gold coast link Couter

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários

.geocounter