Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Jogos (2009)

Nem sempre a mensagem passa

o sentido fica perdido no espaço

hesitante, simplesmente disfarço

cruelmente, mais alguém disfarça

 

jogo de crianças, do gato e do rato

eu esquivo-me e tu foges de mim

eternas estas brincadeiras sem fim

uma recatadas, outras com aparato

 

meros fingimentos de parte a parte

uso abusivo da nossa poesia escrita

palavras espalhadas, puro desnorte

 

vontades declaradas através da arte

perícias de quem realmente acredita

são apenas jogos de azar e de sorte

 

tags:
publicado por manu às 19:53
link do post | comentar | favorito
|
8 comentários:
De Utopia das Palavras a 26 de Fevereiro de 2009 às 17:09
Nesse jogo do amor
Ganham os versos gravados
Jogados com dados de cor
Em vez de setas e dardos!

Manu, bonita poesia... bem "jogada"!

Beijos
De manu a 26 de Fevereiro de 2009 às 19:37
Olá Ausenda!

Os dados estão lançados
espero a próxima jogada
terei pontos marcados?
ou o jogo deu em nada?

Beijos
De Breizh da Viken a 26 de Fevereiro de 2009 às 18:33
Olá Emanuel

O jogo do gato e do rato
quem quer jogar
esconde-se e aparece
para a alma animar.


Gosto de vir aqui...
é sempre uma surpresa!
O incógnito assim
tem a sua beleza.


bj

Breizh
De manu a 26 de Fevereiro de 2009 às 19:44
Olá Breizh!

Também gosto de fantasiar
a surpresa pode ser excitante
nunca se sabe o que vai dar
e pode surgir algo aliciante

e deste jogo já saí vitorioso
pelas quadras que fizeste
só me posso sentir orgulhoso
pelo trabalho que tiveste

este estilo não é o teu
mas não está nada mal
o que foi que te deu
para seres assim original?

Beijos

De Breizh da Viken a 26 de Fevereiro de 2009 às 22:29
Olá...

À tua pergunta
eu não sei responder
na escrita tudo se junta
para uma surpresa aparecer!


P.S - Olha tentei também rimar...mas colei-me muito ao teu estilo...desculpa...
mas foi só para brincar...


bj

breizh
De manu a 26 de Fevereiro de 2009 às 23:18
Olá Breizh !

Não peças para te desculpar
isso eu não posso fazer
deu-me gozo em ti encontrar
elasticidade do teu ser

Beijos
De Vera a 27 de Fevereiro de 2009 às 04:07

Olá Manulo!

Nem sempre a mensagem lida
Que se tenta passar é entendida
É do poeta a escrita sofrida
Quer se declarar a(o) amada(o)

Cada qual vê o que apetece
De acordo com sentimento.
É diferente de quem escreve
Na poesia o poeta relata sofrimento.

Às vezes parece um jogo
Como do gato e o rato ou pega-pega
Há beleza na poesia usando as regras
E nem sempre se entende o todo.

Nunca finjo na escrita
Nem mesmo eu disfarço
Há os que usam máscaras
E os que mostram as caras.


Abraço

De manu a 27 de Fevereiro de 2009 às 18:16
Olá Vera!

Os desencontros são assim
há alguma falta de sintonia
mas tudo na vida tem um fim
o que me vale é a poesia

Abraço.

Comentar post

.mais sobre mim

.contador

Counter Stats
gold coast link
gold coast link Couter

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários

.geocounter