Terça-feira, 10 de Março de 2009

Caminhos - introdução (2009)

Sou filho de um Deus não referenciado

por esse motivo caí na ira da divindade

pelo tribunal do Olimpo fui condenado

o próprio Zeus me negou a felicidade

 

"Segue teu próprio caminho ó mortal"

Gritou-me Apólo com funesto desdém

como se a minha vida lhe fizesse mal

e o meu pai celestial não fosse ninguém

 

Fiz-me à estrada sem qualquer rancor

"Quem precisa dos Deuses" pensei

"Vou em busca de um grande amor"

"Pró inferno este Olimpo sujo" gritei

 

Ainda ouvi as gargalhadas celestiais

nunca olhei para trás, segui em frente

"Ao Real Olimpo não voltarei mais"

"Não me merece, este tipo de gente"

 

Zeus ouviu todos os meus pensamentos

pressentiu em mim uma notável atitude

aumentaram então os meus tormentos

"Talvez assim ele compreenda e mude"

 

Em meu auxilio veio Hércules mortal

deu-me o apoio que eu mais precisava

a sua companhia fez-me sentir especial

só tinha um defeito; nunca se calava

 

Juntos andámos pelas terras deste mundo

combatemos, lado a lado, mil mafarricos

transpusémos um érebo sujo e profundo

onde ardem, em lume brando, os ricos

 

Bebemos e ceámos em imundas tavernas

saboreámos iguarias em reinos encantados

pernoitámos em palácios e em cavernas

pelos Deuses fomos seguidos e vigiados

 

Desde então vivi mil inusitadas aventuras

estou mais que preparado para vos contar

peripécias cómicas e momentos de tortura

feitos heróicos e outros de envergonhar

 

Conheci Deuses de diversas civilizações

por vezes o mesmo com um nome diferente

vi-me envolvido em revoltas e revoluções

privei com Reis, Imperadores e indigentes

 

tags:
publicado por manu às 20:29
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Breizh da Viken a 10 de Março de 2009 às 22:47
Muito bonito este poema...diria até muito heróico...

Gostei muito de ler...

bj

Breizh
De manu a 10 de Março de 2009 às 23:01
Olá Breizh ! Decidi inventar uma saga, talvez surja algo engraçado. Beijos.
De Simbologia do aMoR a 11 de Março de 2009 às 02:53
Oi Manulo

Adorei ler.
Seria só uma invenção ou tem algo metafórico neste poema?
Não sei se é mal o que faço, mas tento buscar nos poemas que leio o sentido deles. É difícil, mas tenho esta mania.

Abraço.

De manu a 11 de Março de 2009 às 19:59
Olá amiga! Eu também tenho esse hábito de tentar ler para além do texto. Neste caso é apenas uma invenção mas como em qualquer texto, fica sempre algo de nós. Abraço.
De gothicum a 11 de Março de 2009 às 09:30

"O homem nasceu para lutar e a sua vida é uma eterna batalha."
(Thomas Carlyle)


Que grande poema...épico da vida. Abraços
De manu a 11 de Março de 2009 às 20:01
Amigo Filipe! É uma tentativa de elevar um pouco a fasquia e ir em busca de outros temas. Assim a poesia fica menos repetitiva. Abraço.

Comentar post

.mais sobre mim

.contador

Counter Stats
gold coast link
gold coast link Couter

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários

.geocounter