Domingo, 22 de Março de 2009

Exercício II (2009)

Caminho ligeiro pelas ruas desta nossa Lisboa

cruzo-me com toda e qualquer pessoa

este que tosse, aquele ali que se assoa

gente de Alfama, Graça, Alvito, Madragoa

gente simples numa cidade que não destoa

onde o silêncio nem na noite ecoa

há quem ande perdido ou simplesmente à toa

ouve-se um ou outro grito que ressoa

não pode ser coisa boa

uma mãe defende o filho como uma leoa

ataca o assaltante e não lhe perdoa.

 

Há quem coma peixe frito com broa

para sobremesa uma suculenta meloa

como digestivo uma voz que fado entoa

uma pomba branca no céu voa

no rio navega uma frágil canoa.

 

Cuidado pescador com a sua proa

não estás numa regata na lagoa

olha que esse petroleiro te abalroa

se afundas, que vais dizer à tua patroa?

 

Aquela que em tua casa é rainha sem coroa

aquela que a tua cevada matinal coa

desde o teu regresso de Goa

aquela que por ti eternamente se magoa

e no mercado, o que pescas, apregoa

na sua voz de varina que tão bem soa

aquela a quem tu dedicaste a singela loa

e reza para que a tua vida não se escoa

a tua morte talvez lhe doa

evita, portanto, que essa noticia a moa

e alguém lhe diga: " O seu marido amou-a"

 

 

 

tags:
publicado por manu às 23:55
link do post | comentar | favorito
|
14 comentários:
De poetaporkedeusker a 23 de Março de 2009 às 00:49
Caramba, Manu! Nunca tinha visto um poema tão longo e tão bem conseguido, de rima única! Parabéns!
Abraço grande. :)
De manu a 23 de Março de 2009 às 20:03
Olá poetisa! O primeiro poema deste género que vi foi um do Ruy Belo chamado "TO HELENA" em que ele terminava cada verso com um advérbio. Este é o segundo que faço e acaba por ser um bom exercício rimático. Abraço.
De poetaporkedeusker a 23 de Março de 2009 às 23:54
Nunca me tinha passado pela cabeça fazer um poema desses! Não é nada fácil, Manu!
Abraço grande!
De manu a 24 de Março de 2009 às 23:46
Eu também nunca pensei fazer nada semelhante até ler o Ruy Belo. Achei interessante e tentei a minha sorte. O primeiro está um pouco básico e foi mais fácil pois fiz as rimas com a terminação "ER". Este foi mais trabalhado. Abraço.
De poetaporkedeusker a 25 de Março de 2009 às 00:32
Pois, este não é mesm nada fácil...
Abraço grande.
De manu a 25 de Março de 2009 às 23:52
Faz-se o que se pode, havendo inspiração e cabeça para tal. Abraço.
De poetaporkedeusker a 26 de Março de 2009 às 12:02
Pois é Manu, mas eu, por exemplo, neste momento, estou quase a ultrpassar o meu plafond de banda larga... não posso nem fazer visitas até ao mês que vem por isso aproveito para dizer que há um prémio à sua espera no http://premiosemedalhas.blogs.sapo.pt/
Abraço grande! :)
De manu a 26 de Março de 2009 às 19:37
Olá poetisa! Tenha atenção... ! Vou já ver esse prémio. Abraço.
De MBeirão a 23 de Março de 2009 às 21:51
Não foi um exercício á toa
O que teu falar entoa
Da nossa capital Lisboa
Escrito pela tua pessoa

Aos meus ouvidos soa
O que tua mensagem apregoa
E eu avalio-a como, muito boa
A poesia que acaba em "amou-a"

sempre a supreender!!!
De manu a 23 de Março de 2009 às 22:26
Amigo Miguel!

Tento sempre a inovação
no meu acto de criação
só usando a inspiração
mas hoje é um dia não

Abraço, papá babado
De Simbologia do aMoR a 23 de Março de 2009 às 22:33
Oi Manulo

Muito legal este tipo de poema. Só o conheci após tua resposta à nossa amiga poetisa.

Parabéns
De manu a 24 de Março de 2009 às 23:50
Olá amiga! É sempre muito interessante testarmos novas formulas. Não é a primeira vez que faço este género de texto mas desta vez a coisa saiu bem melhor. O outro ( Exercício) que fiz foi mais espontaneo mas também mais fácil de fazer. Abraço
De rosafogo a 24 de Março de 2009 às 01:08
Boa!!!
Que diria PESSOA?
- Que bem que apregoa
A minha cidade LISBOA!

Também eu, fiquei admirada com tanto rimar, ás
vezes é tão difícil encontrar a palavra mágica, porém o amigo ....

Um abraço
rosafogo

De manu a 24 de Março de 2009 às 23:55
Olá rosafogo! O difícil não foi arranjar a rima mas sim encontrar uma forma de encadear todas as rimas numa história com pés e cabeça.

Tentar inventar um enredo
e dar uso a uma só rima
não tem nenhum segredo
isto não é uma obra prima

Abraço.

Comentar post

.mais sobre mim

.contador

Counter Stats
gold coast link
gold coast link Couter

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários

.geocounter