Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

Volta p'ro mundo (2004)

Por que é que quando estás frustrado

sem hesitar, pões a culpa em alguém?

quando da culpa somente tu és culpado

é tua...só tua... e de mais ninguém

 

Por que escondes nessa concha, a tua mente?

Por que não mostras o que realmente és?

Por que não olhas o mundo de frente?

Por que nos olhas a todos de viés?

 

Por que razão ao mundo tu te fechas?

Por que te refugias nessa cúpula de aço?

Qual a verdadeira razão das tuas queixas?

Por que impedes a entrada no teu espaço?

 

Que ganhas tu com essa insana atitude?

Que mal atroz te fez a humanidade?

Por que não ages de modo que tudo mude?

Por que não me respondes com sinceridade?

 

Não serás tu aquele que mais erra?

Não te estarás tu próprio a enganar?

Liberta-te dessa vida que te enterra

Aceita este conselho e volta a respirar

 

sinto-me: desconfiado
publicado por manu às 19:54
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Velucia a 29 de Outubro de 2008 às 03:12
Oi Manulo gostei muito deste poema!

Este poema diz-me algo!

Posso levá-lo como favoritos?

De manu a 29 de Outubro de 2008 às 21:01
Aqui neste espaço tudo o que escrevo é de quem quiser. Sirva-se à vontade. Um abraço.
De luabranca81 a 29 de Outubro de 2008 às 13:11
Belo poema e que atinge muita gente.
Por diversas vezes deixamos que a vida nos passe ao lado e ficamos a ver.
De manu a 29 de Outubro de 2008 às 21:08
Essa é a leitura correcta do meu texto. Quantas vezes temos uma oportunidade a passar à nossa frente, não a aproveitamos e depois passamos a vida a lamentar por falta de oportunidades e a acusar os outros pela nossa inércia? Obrigado pelo teu comentário. Um abraço.
De Velucia a 30 de Outubro de 2008 às 02:05
Oi Manulo

Desculpe a intromissão na tua resposta, mas é bem verdade. Tenho o exemplo bem dentro de minha casa e, sempre somos culpados do que o outro deixou de fazer. Concordo plenamente contigo, e é por isso que vou adicionar aos favoritos como te pedi.
Obrigada. Já estou levando.

Um abraço.
De manu a 30 de Outubro de 2008 às 02:34
Como disse, aqui você não precisa pedir. Este blog é um género de self-service, cada um se serve do jeito que quer. Mais uma vez obrigado por deixar seus comentários, eles são muito importantes para mim, é com esse retorno que eu ganho ainda mais forças para continuar a fazer o que mais gosto; escrever. Um abraço.

Comentar post

.mais sobre mim

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub