Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

Trabalho nas obras II (2008)

Por vezes dou comigo a pensar

se, na cara, tenho algo escrito

nem sempre consigo acreditar

no que oiço, no que me é dito

 

Não sou doutor, longe disso

mas tenho consciência do que sou

tenho um trabalho, um serviço

em tudo o que faço, o máximo dou

 

Podem criticar, dizer que está mal

todos aprendemos com os erros

mas não me falem como a um animal

falem com correcção, não aos berros

 

Sou muito calmo por sã natureza

mas não gosto de ser pisado

aí, perco a calma, com certeza

e transformo-me num ser irado

 

Não sei o que realmente pensam

aqueles que na parede têm diploma

e da arrogância não dispensam

julgam-se fechados numa redoma

 

Oiçam com atenção, o que me irrita

é esse vil e constante bota-abaixo 

só porque carrego uma marmita

não sou nem serei vosso capacho

 

P'rós olhos, não me atirem areia

mesmo tapados, vejo mais que vocês

não me apanham nessa teia

não ando nesta vida à um mês

 

Assumam o que têm de assumir

sejam os homens que dizem ser

para não me voltarem a ouvir

e ver-me, de novo, enfurecer

 

Vocês têm um preconceito errado 

que não perdem nem a murro

lá por eu não ser doutorado

trabalho nas obras, mas não sou burro

 

 

sinto-me: furioso
publicado por manu às 22:03
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

Lomelino - desde 1150 (2008)

Lomellina é nome de região

lá p'rós lados da Lombardia

foi onde nasceu um brasão

e se iniciou uma dinastia

 

Vassalo de Lumello foi o fundador

de um nome quase milenar

várias mudanças para melhor

até ao actual Lomelino chegar

 

Urbano Lomellini veio para Portugal

com ele trouxe o irmão Baptista

aportaram lá p'rós lados do Funchal

apenas o segundo fez conquista

 

Sou de uma familia numerosa

quase tão antiga como o país

fiz esta descoberta fabulosa

ao procurar a minha raiz

 

Quem por genealogia se interessar

procure no google por Lomelino

vai mais de um site encontrar

e saber que não faço figurino

 

Dedicado a todos os que tem o sobrenome Lomelino. Procurem saber mais sobre a origem do nome, garanto que ficaram tão fascinados como eu fiquei. Só temos menos cinco anos do que Portugal.

 

 

sinto-me: fascinado
publicado por manu às 19:39
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

S.Martinho (2008)

Neste dia de S. Martinho

dizem os antigos com fé

come-se castanhas, prova-se o vinho

prefiro castanhas e água-pé

 

A lenda fala de santa bondade

a esse santo rezam com louvor

e eu aceito de boa vontade

trocar este frio por algum calor

 

Ò santo que és de Novembro

o mês que antecede o Natal

de ti nem os pagãos esquecem

 

De ti sempre me lembro

pelas castanhas e pinga especial

e pelos raios que nos aquecem

 

sinto-me: com água(pé) na boca
publicado por manu às 20:30
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

Idade (2008)

Olho-me ao espelho, o que vejo?

mais uma ruga a aparecer

aos mais novos não invejo

o desejo de envelhecer

 

Como me lembro de outrora

quando à força 18 queria ter

outros tantos tenho agora

se tudo correr bem mais 18 p'ra viver

 

Não tenham pressa na idade

um após outro, eles vão chegar

aproveitem enquanto podem

 

Vivam a vida com intensidade

em vós, também o tempo vai passar

e no fim da vida, todos morrem

 

sinto-me: jovem
publicado por manu às 21:17
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Domingo, 9 de Novembro de 2008

Glamour (2008)

Ostentação! Jóias e outros objectos de valor

Acessórios! Tudo o que abre portas à celebridade

Moda! Alta costura! Fatos de famoso criador

Impera a beleza em detrimento da personalidade

 

Limusinas! Espaço para albergar uma conferência

Jacto privado! O tempo diz-se ser precioso

Iate ancorado! Quanto maior, menor decadência

Festas e mais festas! Comparecer é imperioso

 

Telemóveis-casa! Um mundo numa só mão

Paparazzi! Loucura frenética por um boneco

Passerelle! Anoréxicas desfilam num salão

Da beleza relativa e doentia fazem eco

 

Casinos! Dinheiro a rodos em jogos de sorte

Negócios! Exposição de ideias ditas originais

Império! Lucros inacreditáveis, riqueza forte

Milionários excêntricos, são todos iguais

 

Riqueza! Só para quem não é escrupuloso

Fama! Só para quem se vende contra ideais

Glória! Para quem nunca deixou de ser famoso

Proveito! Para os que são noticia de jornais

 

E todos eles fazem questão de comparecer

em festas de beneficência, bailes de caridade

apenas pela incessante necessidade de aparecer

mostrar-se ao mundo, em toda a sua vaidade

 

sinto-me:
publicado por manu às 18:15
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 8 de Novembro de 2008

Aprender sonetos (2008)

                          I

 

Se escrever tu não te permites

De que podes tu então escrever?

Tudo deves deixar acontecer

Ao escrever não cries limites

 

Não sou a pessoa mais indicada

Para aconselhar sobre poesia

Minha consciência não consentiria

E essa seria uma ideia errada

 

Só posso dar força para ti

Escreve tudo o que sentes

Não te acanhes ou preocupes

 

Aprende-se com erros, eu aprendi

Agarra-te com unhas e dentes

Se correr mal não te desculpes

 

                            II

 

A página eu visualizo

Deixo a escrita fluir

Alguma coisa há-de surgir

Só assim eu me realizo

 

É mau ter pouca inspiração

Temos que escrever muito mais

Há versos maus, outros bestiais

Só é preciso alguma dedicação

 

Não se deve desanimar

Logo nas primeiras rimas

Tudo tem o seu preço

 

Há muito para porfiar

Combater algumas cismas

E ganhar mais apreço

 

                       III

 

Ainda não domino esta arte

Dos sonetos saber fazer

Mas estou disposto a aprender

Há um processo, faz parte

 

Ainda me custa metrizar

As palavras vão aparecer

Mas continuo a escrever

As melhorias vão chegar

 

Com esforço, algum suor

Com dedicação, sem excesso

Muito amor e carinho

 

Tento fazer o melhor

Só assim há progresso

Este é o bom caminho

 

Este soneto em três partes surgiu enquanto respondia a um comentário de velucia a quem o dedico.

 

sinto-me: inspirado
publicado por manu às 09:49
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Sexta-feira, 7 de Novembro de 2008

Quem me vê! (2008)

Quem na rua passa por mim

não imagina esta minha paixão

não me vê com uma caneta na mão

nem a escrever palavras assim

 

Quem nos transportes me vê

não pensa que gosto de poesia

muito menos, que escrevo todo o dia

e há alguém que me lê

 

Escrevo versos com prazer

e com eles me satisfaço

é uma paixão já antiga

 

Sonetos, começo a escrever

até gosto dos que faço

por influência de uma amiga

 

 

sinto-me: poeta
publicado por manu às 20:58
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

.mais sobre mim

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds