Segunda-feira, 6 de Abril de 2009

SOU VII (2009)

Sou estrela com brilho próprio

sou o centro da minha galáxia, aquarius

isolado no cosmos que criei

sou invisível aos olhos do mundo

sou partícula ínfima num universo infinito.

Sou constelação de mim próprio

sóis, planetas e luas

estrela cadente, cauda de cometa

meteorito em queda livre

sou buraco negro do meu ser.

Sou planeta habitado por sentimentos

mas também sou lua vazia de afectos

sou oásis e deserto

ambivalência sui generis de motu proprio.

Sou vento enclausurado por paixão

sou chuva de ácido auto infligido

sou calmaria, tempestade, contradição.

Sou nascente, caudal e foz do mesmo rio

desaguo num mar de incertezas.

Verei o oceano da felicidade?

Existe o oceano da felicidade?

Sou um mundo à parte

com força gravitacional invertida

mas quero atrair um corpo celestial

antes da minha supernova.

 

tags:
publicado por manu às 02:32
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Domingo, 5 de Abril de 2009

Elogios (2009)

Imerecidos motes eu li...

que alimentam este meu ego

com eles muito me embeveci

mas garanto não ficar cego

 

De poeta sou só aprendiz

muito tenho que aprender

pelos elogios fico feliz

nada fiz para os merecer

 

Escrevo apenas o que sinto

dou voz ao pensamento

o papel é a tela que pinto

com palavras de cimento

 

Escrever é uma necessidade

uma urgência fundamental

expressão da minha verdade

com um toque meu, especial

 

Concordo em ser espontâneo

faço muito uso do improviso

gosto do verso momentâneo

provoca sempre um sorriso

 

A responsabilidade aumentou

o nível tem de ser mantido

porque alguém me elogiou

escrever ganha outro sentido

 

continuo a escrever para mim

mas pelos outros devo escrever

termino este novo poema assim

os elogios fazem-me engrandecer

 

Agradeço publicamente à minha amiga e grande poetisa Maria João (poetaporkedeusker) as palavras elogiosas que escreveu a meu respeito num outro blog. Vindos de si, esses elogios valem mais do que um prémio Pulitzer. Obrigado.

 

tags:
publicado por manu às 14:03
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 4 de Abril de 2009

Eu nu pot sa vorbesc romanesc (2009)

Nu vreau sa-mi fii

am acest drept

nu se poate obliga

nu puteti vigoare

sa faci asa cum doriti.

Sedere pierde

sunt pierde

i-am pierdut

pierdut lume.

Dar la naiba

acest cuvinte

chiolhanos acest cuvinte

nu spune ça urasc

pentru ça nu este adevarat

mintea, atunci cand spune ça

nu simt ura

nu va puteti simti ura

vreau grav

nu cred rau de mine

nu-mi spune-un astfel de lucru

 

publicado por manu às 19:22
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Sexta-feira, 3 de Abril de 2009

Ciclos (2009)

São simples fases da vida

ciclos que se repetem.

Labor inadiável

sofrimento físico

desgaste emocional.

Urgências dos poderosos

senhores com vontade de nota grande

necessidade do pobre

os alimentos não caem do céu

a vida está pela hora da morte

ou fazes

ou há cinquenta para o fazer.

Trabalhar em ritmo acelerado

de sol a sol como antigamente

para se ter pouco mais que nada.

Sete são os dias da semana

outros tantos para trabalhar

setenta horas no duro

duas semanas numa só

tem-se trabalho

falta descanso

perde-se motivação

mas...

só trabalha quem não sabe fazer mais nada

 

tags:
publicado por manu às 22:15
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Platicando solo (2009)

Está llegando mi invierno

se oculta mi sol para no más volver

se va y no volverá

Camino por las calles

y siento las miradas más frias

mi soledad es unica

incomparable

Estoy platicando solo

y siento las miradas de los viejos

que ven en mí un igual a ellos

Soy un cohete más, que se rompió

y perdió calidad

estoy perdiendo a mi mismo

estoy platicando solo

y el tiempo ha pasado

mi tiempo ha pasado

No hay nada acá

nada se queda allí

que recuerde mi pasage

o palabras

o acciones

estoy platicando solo

sin nadie

y sin nuevos mundos

tampoco mundos futuros

de mí, nada se queda

ni memória

Nadie se acuerdará

me quedaré en el olvido

sin estatua

ninguna imagen para el futuro

resumiendo

soy solo una presencia

un numero

entre muchos otros

Ya siento mi pierda

y la pérdida de otros

Estoy solamente platicando solo

 

tags:
publicado por manu às 17:39
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

.mais sobre mim

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds