Sexta-feira, 24 de Julho de 2009

Guerreira (2009)

Quando chegares ao fim da tua cruzada

faz por pensar em mim e em mais nada

imagina o meu sorriso pelo teu sucesso

afasta de ti tudo o que te deixa magoada

protege bem a vida que te foi destinada

vive um dia de cada vez, sem excesso

 

Quando te sentires sozinha ou desertada

não tenhas pena, não foste abandonada

tens amigos no mundo que zelam por ti

pensa que neste instante és uma felizarda

por estares, profissionalmente, realizada

diz em voz alta: Foi por isto que me bati!

 

E se a saudade aparecer de madrugada

fecha-lhe a porta, recusa-lhe a entrada

medita nos bons momentos da tua vida

verás que esta fase nem é complicada

para os obstáculos, estás bem preparada

e eu sei que és uma guerreira destemida

 

tags:
publicado por manu às 21:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

Ambição (2009)

O meu percurso sou eu próprio que escolho

caminho a passos largos, não me encolho

sei bem o que quero e qual o meu desejo

tenho uma pequena ambição, um projecto

insisto neste desígnio, alinho o meu trajecto

quanto mais eu caminho, mais perto o vejo

 

Passo a passo, formo uma linha condutora

sigo do meu jeito numa ideia orientadora

procuro não me afastar muito do meu rumo

a vontade existe em mim, tem força de lei

de que pretensão estou a falar? Já vos falei

mas a minha poesia ainda não está a prumo

 

Cada poema faz parte desta minha evolução

cada palavra pertence à mesma construção

e assim eu vou criando um alicerce seguro

no entanto, ainda há muito para palmilhar

resta-me, portanto, não desistir e continuar

o meu sonho pode ser realizável, ter futuro

 

tags:
publicado por manu às 21:36
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 22 de Julho de 2009

Poema de amigo (2009)

Como me orgulho de gritar ao mundo

o que meu coração sente e a alma exalta

faço compasso de espera e respiro fundo

tendo-te por amigo, nada mais faz falta

 

Sou feliz desde a hora em que te conheci

sou mais rico pela tua constante presença

em ti, algo de maravilhoso, eu descobri

esse teu modo singular marca a diferença

 

Sei que posso contar contigo na desgraça

a reciprocidade também existe deste lado

nem só nas horas boas foste comparsa

também estiveste no instante complicado

 

Em teus braços encontro porto de abrigo

dás-me a necessária segurança de aço

estou abençoado por te ter como amigo

e desta linda amizade eu não me desfaço

 

Ainda que na segunda pessoa eu insista

este poema não é para ninguém particular

a quem servir esta pele, então que a vista

o poema é para quem assim se identificar

 

tags:
publicado por manu às 20:40
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Terça-feira, 21 de Julho de 2009

Poesia sem fim (2009)

Quanto mais poesia leio e devoro

mais vontade tenho de a escrever

ânsia que cresce, não me apavoro

pelo contrário, aumenta o prazer

e a certeza de que a poesia adoro

 

Cada poema que leio e me delicia

é um novo sabor que sinto na boca

como é delicioso o gosto da poesia

por nutrida que seja é sempre pouca

quão ténue pode ser uma antologia

 

Cada verso que leio é uma Odisseia

uma aventura vivida em plenitude

cada sílaba é a génese de uma ideia

um acto de reflexão e uma atitude

sou um mero espectador na plateia

 

Cada mote que leio fala para mim

diz-me coisas que eu ainda ignoro

eu sempre vi toda a poesia assim

mesmo sem som o poema é sonoro

tudo morre, a poesia não tem fim

 

tags:
publicado por manu às 20:11
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

O poeta é... (2009)

O poeta é filho pródigo da desgraça

mesmo assim, a desdita ele abraça

e anda sempre de sorriso nos lábios

diz-me ó poeta, o que te embaraça

revela o que nessa tua cabeça passa

explica, porque são os poetas sábios

 

O poeta é filho afamado da má sorte

solidão, é a sua arma letal mais forte

nenhuma outra, na vida, ele dominou

a infelicidade sempre foi sua consorte

e continuará a sê-lo até à sua morte

mas nem assim a sua poesia se calou

 

O poeta é servo cativo da má fama

boémio inveterado sem uma cama

onde o possamos encontrar de noite

o poeta é quem mais sangue derrama

quando grita o nome de quem ama

não há quem como o poeta se afoite

 

tags:
publicado por manu às 20:27
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 19 de Julho de 2009

Pintarroxo (2009)

Estando eu um pouco aborrecido

e precisando de alguma alegria

pensei em garatujar esta poesia

que nunca fará nenhum sentido

quero fazer algo fora do normal

não! Não é uma crise existencial

nem tampouco é algo parecido

 

São apenas palavras amontoadas

para me libertar desta pasmaceira

apenas exortações na brincadeira

palavras vãs a serem exploradas

um escrevinhador sem destaque

a sofrer um incongruente ataque

e a escrever sobre pequenos nadas

 

Podia ficar quieto neste meu canto

amordaçar a boca ou ficar calado

esperar o momento mais adequado

e apenas escrever sobre um pranto

mas todos já sabem como eu sou

e outra alternativa não me restou

estou muito longe de ser um santo

 

Mas não me considerem um frouxo

por escrever este poema sem nexo

que não é mais que um acto reflexo

não vou parar nem sequer afrouxo

até vou mais longe, escrevo coruja

e antes que a nocturna ave me fuja

vou chamar este poema, Pintarroxo

 

tags:
publicado por manu às 09:53
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Sábado, 18 de Julho de 2009

Não posso menosprezar a minha escrita (2009)

"Não posso menosprezar a minha escrita"

assim diz quem na sua poesia acredita

e eu ouvi estas palavras em primeira mão

acho delicioso que alguém pense assim

e muito orgulhoso por ter sido dita a mim

não a esquecerei, e guardarei esta citação

 

Utilizo-a agora neste poema, será imortal

no sucesso das tuas letras, ela é essencial

na tua biografia ela há-de constar também

esta frase coloca-te completamente a nu

só podia, mesmo, vir de alguém como tu

tanta é a feliz sabedoria que ela contém

 

Eis uma frase idiomática que fará história

sublime tirada que guardarei na memória

e que nem o tempo jamais poderá apagar

por ela eu produzi este poema espontâneo

é uma honra poder ser teu contemporâneo

e uma frase tão bela para sempre lembrar

 

Aqui deixo, portanto, a minha homenagem

singela, eu sei!, pela tua enorme coragem

em assumires o amor que tens à tua poesia

faças o que fizeres, deixaste uma marca tua

numa conversa poética iluminada pela lua

é bom sentir em ti todo esse gáudio e alegria

 

A frase Não posso menosprezar a minha poesia que me inspirou e dá nome a este poema foi proferida pela minha amiga Breizh da Viken durante uma conversa, via internet, sobre a sua poesia. Se há frases que merecem a eternidade, esta é uma delas. És inspiração, amiga.

 

 

tags:
publicado por manu às 11:12
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

.mais sobre mim

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds