Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

Cinco elementos (2009)

Sou tal qual o vento

sou fugaz, um momento

apenas e só um instante

na poesia ganho alento

vou escrevendo e tento

escrever algo importante

 

Sou tal qual a luz

que uma energia produz

sou sol, astro brilhante

é a poesia que me seduz

ou então a jeito me pus

mas isso agora é irrelevante

 

Sou tal qual a terra

tudo o que ela encerra

sou eterno caminhante

sou de paz, não de guerra

desço ao vale, subo à serra

caminho em frente, adiante

 

Sou como fogo quente

eterno vilão, indigente

com chama abrasante

meu calor é indecente

queima intensamente

obsceno e errante

 

Sou como água corrente

forte e bem potente

lapidando o diamante

sou como toda a gente

sou eu por ser diferente

do meu modo interessante

 

tags:
publicado por manu às 13:11
link do post | comentar | favorito
20 comentários:
De Simbologia do aMoR a 20 de Maio de 2009 às 14:14
MEU QUERIDO AMIGO
VOCE SEMPRE FOI MEU AMIGO.
LEIA A MINHA CARTA.
EU TROUXE PARA VOCES CONHECEREMMINHA VERDADE.
CADA UM EM A SUA E EU TENHO A MINHA,ACREDITEM OU NÃO.
De manu a 20 de Maio de 2009 às 16:03
Vou ler amiga, vou ler. Abraço.
De Mírtilo MR a 20 de Maio de 2009 às 16:56
Este seu poema, «Cinco elementos», é deveras uma maravilha, tem algo de clássico, pelo tema, algo de raro, pelas estrofes de seis versos e pela disposição da rima (houve quem praticasse este tipo de estrofe, mas não me lembro de quem); perpassa pelo poema uma grande identificação com as forças da Natureza, com os clássicos elementos da Antiguidade, mas, a par dessa natural identificação, digamos , universal e pacífica, há também algo de indomável sob certa forma de lamento seu, ou de rebeldia angustiante e também lamentada ...
E acrescentaria:

LUZ-POESIA

Aos quatro elementos naturais,
pelos Antigos tidos como universais,
que tudo explicavam fisicamente,
juntou-lhes você outro mais,
que de poesia lhe induz imagens, sinais,
essa luz nascida animicamente.


Um abraço para si, «Manu».

Mírtilo
De manu a 20 de Maio de 2009 às 18:36
Amigo Mírtilo!

Eis que me colocam um desafio
bem de acordo com meu feitio
mas será que estarei à altura?
este estilo que identificou e viu
foi em Torga que leu, aqui distinguiu
eis um poeta que no tempo perdura

Obrigado por mais um comentário esclarecido e simpático. Abraço.
De Breizh da Viken a 20 de Maio de 2009 às 17:08
Cada dia que passa, ou melhor, cada poema que escreves...mais me surpreendes...ou não... porque começo a conhecer os teus dotes poéticos....ressalvo poéticos

Continua a escrever Homem até que a mão te doa!
De manu a 20 de Maio de 2009 às 18:37
Tenho de preservar este meu calo de estudante...Beijos
De Utopia das Palavras a 20 de Maio de 2009 às 17:58
Acompanhar a tua poesia é dureza
Estonteia-nos docemente
São tantos versos e beleza
E um coração que não mente!

Manu...mais rápido que a própria sombra...vejo-me grega!!!!

Beijo maior
De manu a 20 de Maio de 2009 às 19:39
Olá Ausenda!

A inspiração surge como mar alterado
ondas que aparecem em catadupa
não consigo manter o barco parado
então monto a onda e vou na garupa

Adorei essa analogia com o Lucky Luke.
Beijo grande
De rosafogo a 20 de Maio de 2009 às 21:26
Não trago nada p'ra dizer
Mas digo e sinto no peito
Será tudo o que quiser!?
Mas sempre Poeta ao meu jeito.

Por não haver forças que o domem
Brota poesia, diferente, é POETA é HOMEM!

Adoro M. Torga,leio e releio e encontro sempre algo maravilhoso, dá -nos sempre uma força, uma vontade
irresístivel de voltar a pegar nele.
Sabe, conheço outro poeta, tão bem, que reconheço nele , a mesma força, o mesmo grito, e que eu também leio com o mesmo anseio. Adivinha?!

Beijo amigo
De manu a 20 de Maio de 2009 às 21:46
olá rosafogo!

Tantos elogios humildemente agradeço
sou aprendiz de poeta por vocação
fico muito feliz pela vossa aprovação
mas comparar-me ao poeta não mereço
tenho minhas limitações e não esqueço
que na poesia sou apenas um na multidão

Uma vez mais agradeço as palavras carinhosas com que sempre me presenteia. Beijo de gratidão
De rosafogo a 20 de Maio de 2009 às 21:53
Manu

Como sabe a idade, prega-nos partidas! Eu sei que talvez o amigo não saiba mas ainda há-de passar por cá e depois se lembrará do que a sua amiga rosafogo lhe dizia. Como já constatou, o comentário que fiz a este seu belo poema, é identico ao outro, aconteceu
porque eu para além da fraca memória ,tenho o defeito de não fazer rascunhos e como o computador parou e tive de voltar ao início, ficou-me na ideia que era isto que lhe queria escrever Também tenho que confessar
que hoje já estou um pouquito cansada. Porém o que escrevi é a verdade e o que sinto em relação á sua
poesia, por isso não leve a mal.

Um abraço
De manu a 20 de Maio de 2009 às 22:12
Querida amiga!

Mesmo com comentário duplicado
nunca é demais eu lhe agradecer
por tudo o que tem estado a dizer
e com quem me tem comparado
apenas repito o meu muito obrigado
suas palavras fizeram-me envaidecer

Beijo terno
De Maria João Brito de Sousa a 21 de Maio de 2009 às 13:01
Belas sextilhas, Manu.
Eu ontem entrei em "modo pictórico", nem eu sei porquê... deu-me para começar a pintar e pronto! Mas retomar o ritmo de publicação de posts e de um soneto por dia é que não consigo... ainda! Mas ainda estou muito, muito fracota. Isto há-de melhorar!
Abraço grande!
De manu a 21 de Maio de 2009 às 17:15
Olá poetisa! Mas que grande surpresa chegar aqui e vê-la. Voltar a pintar é um indicio de que as coisas estão a regressar aos poucos à normalidade. Eis mais um passo dado, outros se seguirão. Vamos com calma que temos tempo. Abraço grande.
De Maria João Brito de Sousa a 22 de Maio de 2009 às 12:08
:) Mas pinto tão devagarinho que até dá dó, Manu... enfim, espero que melhores dias venham e já estou muito contente por conseguir fazer qualquer coisita, por pouco que seja.
Abraço grande!
De manu a 22 de Maio de 2009 às 20:10
Claro que as coisas vão melhorar. Mesmo num ritmo mais lento tudo voltará ao normal. Força poetisa. Abraço grande
De Maria João Brito de Sousa a 25 de Maio de 2009 às 16:14
E engripada, Manu! Mas cheia de vontade de produzir mais e mais!
Abraço grande!
De manu a 25 de Maio de 2009 às 17:40
Olá poetisa! E como produz, minha amiga, como produz! É sempre uma delicia ler os seus sonetos, trazem sempre algo novo e refrescante. Abraço grande e as melhoras.
De Maria João Brito de Sousa a 26 de Maio de 2009 às 15:05
Obrigada, Manu! E essa produção também vai de vento em popa! Bem mais do que a minha que anda encolhidita, a meia haste...
Abraço grande!
De manu a 26 de Maio de 2009 às 15:54
Olá poetisa! Tenho produzido alguma coisa. A amiga já me conhece e sabe que volta e meia tenho daqueles dias de maior fulgor e nem vale a pena refrear a escrita. Quanto à amiga, mesmo com produção reduzida o essencial está lá... a qualidade da sua poesia. Abraço grande.

Comentar post

.mais sobre mim

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub