Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

Perguntaram-me (2009)

Perguntaram-me o porquê de escrever

e eu nunca poderia dar outra resposta

porque a escrita nunca me foi imposta

escrevo, apenas e só, por mero prazer

com as palavras sempre me fascinei

viver sem elas, sinceramente não sei

e deste modo sigo a vida, até morrer

 

Perguntaram-me o porquê da poesia

respondi bem célere, sem hesitações

fui atraído pela pureza das emoções

e para lutar com a triste melancolia

escrevo poemas, muito a meu jeito

expresso assim o que sinto no peito

e no fim, gosto de sentir esta alegria

 

Perguntaram-me como escrevo poemas

e duvidei um pouco na resposta a dar

porque não há um segredo por revelar

na minha poesia falo de vários temas

sou ecléctico na maneira como poetizo

todas as formas de poesia, eu utilizo

e gosto de variar, inventar problemas

 

Perguntaram-me de qual gosto mais

e a esta questão eu não sei responder

vejo a poesia como modo de aprender

e todos os géneros são muito especiais

escrevo em qualquer padrão de registo

eu posso até escrever num estilo misto

e não me preocupo se me saem banais

 

Perguntaram-me por um poeta amado

mas a escolha é muito difícil de fazer

de todos os poetas recolho algum saber

nem há só um que me tenha marcado

apenas sei que nasci no país de poetas

é alta a fasquia para alcançar as metas

que me proponho. É grande o legado

 

tags:
publicado por manu às 21:48
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Breizh da Viken a 8 de Julho de 2009 às 22:36
Olá Manu...

Tantas perguntas num só dia! wow... mas que bela poesia!



ehehehehehe


beijo

De manu a 9 de Julho de 2009 às 21:18
Olá Breizh! Estas perguntas, volta e meia, são-me feitas e é exactamente assim que sinto dever responder. Beijos
De Utopia das Palavras a 9 de Julho de 2009 às 11:34
Não há respostas, há um lugar
Onde os versos têm voz
Desaguam nesse mar
Mar de palavras, dentro de nós!

Manu...uma reflexão bonita!

Beijo Maior
De manu a 9 de Julho de 2009 às 21:22
Olá Ausenda!

Reflectir é encontrar soluções
seja na poesia ou na nossa vida
deste modo reflecti sobre paixões
acho que respondi bem à medida

Beijo Grande
De Maria João Brito de Sousa a 9 de Julho de 2009 às 12:01
É verdade, amigo. Temos um legado que nos coloca uma fasquia bem alta! Somos mesmo de um país de grandes poetas!
Abraço!
De manu a 9 de Julho de 2009 às 21:25
Olá poetisa! E como fomos abençoados por um legado tão grande e importante, está nas nossas mãos fazer com que esse legado perdure no tempo e, se possível, acrescentar mais alguma coisa. A amiga tem feito a sua parte, vamos lá ver se conseguirei fazer a minha. Abraço grande.

Comentar post

.mais sobre mim

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Licença poética - convite

. Vida (inédito)

. Incansável

. Parei o tempo

. Ad aeternum

. Convite a todos os que qu...

. Diz-me (2010)

. És aquela que mais amo - ...

. 2 ANOS

. Sê apenas criança (2010)

.arquivos

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.pesquisar

 

.links

.mais comentados

38 comentários
36 comentários
32 comentários
28 comentários
24 comentários
22 comentários
22 comentários
21 comentários
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub